Crepúsculo

sábado, 2 de maio de 2009

Depois de vários anos, Isabella Swan retorna à nublada e chuvosa cidadezinha de Forks. O qual é o último lugar onde gostaria de viver. Bella tenta se adaptar à vida provinciana na qual aparentemente todos se conhecem, lidar com sua constrangedora falta de coordenação motora e se habituar a morar com um pai com quem nunca conviveu. No entanto, é nesse clima monótono e um tanto mordaz, que Edward Cullen aparece em seu destino.

Ele é lindo, perfeito, misterioso e à primeira vista hostil à presença de Bella. O que provoca nela uma inquietação desconcertante. Ela se apaixona. Ele, no melhor estilo “amor proibido”. Ela é uma garota incomum. Ele é um vampiro. Ela precisa aprender a controlar seu corpo quando ele a toca. Ele, a controlar sua sede pelo sangue dela.
O que Bella não percebe é que quanto mais se aproxima dele, maior é o perigo para si e para os que a cercam. E pode ser tarde demais para voltar atrás…
Combinando sensualidade e mistério, romance e fantasia, Stephenie Meyer produz uma trama de extraordinário suspense neste primeiro volume da série que marcou sua estréia literária. O toque do sobrenatural tempera a trama, que é norteada por clichês típicos de filmes de terror dos anos 90. Tremendamente sedutor, Crepúsculo mantém a idéia no ar de que às vezes é melhor ter apenas um momento de suprema felicidade, do que uma vida inteira de monotonia. Basta escolher…

Crepúsculo (Twilight) é um best seller que virou febre entre os adolescentes de todo o mundo. Talvez seja essa a razão para que o enredo, que de uma hora para a outra, tornou- se tão mediócre e cheio de clichês.
Aparentemente, a estréia do livro foi um misto de surpresa e contemplação, apreciada pelos admiradores do gênero literário vampírico. Leitores como eu, apreciadores de um bom romance e que também curtem esse outro gênero sombrio, foram ao delírio com o misto de romance e ficção que a obra apresenta. No entanto, como tudo que vira “modinha” estraga, a obra perdeu o seu “brilho” dando lugar a versão cinematográfica, gerando um grande desagrado e mal estar entre os apreciadores mais críticos. Para começar, o filme não mostrou o lado sombrio e poético ao qual foi a verdadeira narrativa da obra e sim um total besteirol americano. Não é a toa que a diretora do filme Crepúsculo, Catherine Hardwicke, pediu demissão logo após o término do filme, alegando para a imprensa estar com falta de tempo para finalizar a sequência da série, intitulada Lua Nova (New Moon). No cinema, o ator que da vida ao vampiro Edward Cullen é Robert Pattinson ( que interpretou o personagem Cedrico em Harry Potter e o Calice de Fogo) e Kristen Stewart (O quarto do pânico) é a atriz que interpreta Bella...

A produção cinematográfica de Crepúsculo rendeu US$ 75,6 milhões nas salas de cinema. Foi a maior bilheteria de estréia para uma diretora nos EUA. Tamanha foi a proporção do filme, que arrecadou mais do que a estréia dos últimos do Indiana Jones e James Bond, informou o site da revista "Variety". É nesse clima de consenso crítico que destaco o fato do livro Crepúsculo ter sido reconhecido como “o melhor livro da década… Até agora”, segundo o Amazon.com.
Enfim, se o amor é uma espécie de droga, “Crepúsculo” virou um exemplo.

Por Nathália Nóbrega


3 comentários:

Scarlett O`Hara on 3 de maio de 2009 13:20 disse...

Estou lendo A mediadora como vc indicou, estava bem curiosa em relação e a história é legal, mas acho que um pouco fraca comparada com Crepúsculo ou Morto até o anoitecer.
Mas a história vai melhorando com o passar dos livros.
Valeu pela dica! Espero trocar mais com vc.
Um grande abraço!

Anônimo disse...

eu n acho q a mediadora é fraco em relaçao a crepusculo, principalmente levando em conta q foi uma imitaçao q a stephenie fez
n me levem a mal, eu amo crepusculo, mas foi plagio total e ainda fez mt mais sucesso... se vcs ja leram formaturas infernais, vao perceber q a stephenie n escreve nada, a historia dela é a pior, ela so sabe copiar, apesar de saber fazer isso mt bem...
bjos

Anac disse...

Veja só... A Mediadora e O Crepúsculo Série são livros totalmente diferentes. Se vc acha que Meyer copiou Twilight de algum lugar cite a fonte... Cabot tem seu talento e Meyer tb, não vamos desmerecer nenhuma delas.

Devo concordar com Nathália qnd ela diz que tudo que vira moda estraga, e na minha opinião particular foi isso que aconteceu com Twilight.
Tinha-se tudo para dar certo, mas os 'malditos' adolescentes acabaram com ele xD (sem ofensas).

Porém, meus caros, moda é uma coisa que vai e vem. Não me assombra que logo logo Twilight seja esquecido, assim como HP.

Postar um comentário

 

Copyright © 2009 Grunge Girl Blogger Template Designed by Ipietoon Blogger Template
Girl Vector Copyrighted to Dapino Colada